Resenha: O Aprendiz do Arquimago - Michael A. Iora



Título: O Aprendiz do Arquimago
Autor: Michael A. Iora
Editora: Chiado
Páginas: 630
Ano: 2015

*Cedido em parceria com a Chiado Editora*

No mundo de Herannon os chamados “heróis” nem sempre são dignos de tal título e às vezes são tão perturbados e cruéis quanto seus inimigos.
Mesmo quando a amargura de um guerreiro é tão forte quando o braço que empunha a espada, ou o poder arcano de um mago é tão intenso quanto seu ódio, são realizadas façanhas lendárias – e se elas culminam em algo Bom, pode ser por mero acaso.
Entretanto, mesmo em um mundo tão conflituoso ainda existem valorosos indivíduos dispostos a fazer a diferença, na esperança de provar – inclusive para eles mesmos – que honra, amizade, gentileza e altruísmo podem fazer toda a diferença no eterno conflito do Bem contra o Mal… que nem sempre podem ser claramente diferenciados.


Olá leitores! A resenha de hoje nos levará a um mundo onde a magia predomina, vamos conhecer O Aprendiz do Arquimago.

O livro começa com um prólogo, onde nos vemos na Sala do Trono do Senhor de Elennan, o rei elfico. O rei estava em reunião com um caçador, quando sua esposa entra na imensa sala, cheia de fúria. Aleena, já foi conhecida como a matadora de dragões, uma guerreira elfa forte e determinada, capitão da guarda. O motivo de sua fúria é o desaparecimento de um membro muito querido, que pode estar morto na mão dos maiores inimigos dos elfos: os perversos Nenj'ao.


Em meio a tanta briga e discussões, entra no salão o pequeno Aglarion. Vendo seus pais tão alterados, ele pergunta à sua mãe se ela está brava com ele, o pequeno príncipe diz que quando sua mãe está em guerra, a elfa Tallya (a rainha não gosta dela) sempre cuida e brinca com ele. Aquelas palavras são uma apunhalada na rainha, o ser que ela não gostava e que se pudesse estaria no seu lugar de rainha, ficava cuidando do seu filho enquanto ela ficava em guerra. A rainha repensou suas atitudes e decidiu tomar uma decisão;

"Diante destas testemunhas, eu abdico do meu estatuto - a rainha falou num tom alto e solene. -Não quero ser mais tratada o mesmo referenciada como "Senhora de Elennan", "rainha" ou qualquer outro título equivalente; a partir desse momento, sou apenas uma mãe devotada ao filho."

 Aquela decisão pegou a todos de surpresa, o rei conhecendo bem sua esposa, não pode contestar e aceitou sua decisão. Devido a todos os acontecimentos que o reino passou, a vontade do pequeno elfo era se tornar um guerreiro...O que pegou sua mãe de surpresa e claro que ela não ia permitir tal decisão.

E assim vamos entrar no primeiro capítulo. Já que seu filho queria tanto ter uma função, Allena resolveu pedir um favor a um grande amigo, o arquimago Kyehntw'arthal (pronucia-se quiêntwartao). Ele é um arquimago bastante poderoso e reconhecido por suas magias de alta complexidade, consegue manipular magias arcanas com bastante destreza. Já que sua mãe não permitiu um treinamento de guerreiro, ser mago não seria tão ruim assim...pensou Aglarion.

O pequeno elfo fica na tutela do seu mestre arquimago e vai ficar na casa dele. Lá conhece a pequena e doce elfa Vedriny, filha de um casal de magos que foram mestre de Kyehntw'arthal , ela também está sob a tutela do arquimago, ele tem Vedriny como uma filha. Tem bastante paciência com ela durante os ensinamentos, já que ela é filha de magos poderosos, já tem o dom para a magia.

Bem diferente de Aglarion. Se você pensa que o treinamento dele era tranquilo, pensou errado! O mestre pegou bastante no pé do elfo, mandava ele fazer diversos tipos exercícios, deixando o jovem elfo a beira da estafa. Nossa Suzana, quanta maldade! Sim, também fiquei com pena dele, mas ao longo da narrativa vamos percebendo o quanto esses exercícios seriam necessários para torna-lo forte.

" Vamos começar com um exercício para desenvolver sua capacidade física. A trilha que começa ali segue floresta adentro e retorna até aquele outro ponto logo ali adiante - ele indicou - É um percurso de cerca de dez hastas (1,48 quilômetros). Você deve realizar esse percurso correndo, no menor tempo possível...-Dez hastas? Correndo? Isso parece cansativo - protestou o menino. - E não parece algo que um aprendiz de mago deva fazer." 

E assim começou o primeiro treinamento de Aglarion, ele sempre questionava se isso era treinamento de mago e como resposta recebia:


"...e se falhar, isso significará que é incapaz, e vou levá-lo de volta até sua mãe. Entendeu?"

E sempre era assim. Toda vez que o aprendiz reclamava, o mestre diziam que era só desistir que ele voltaria para os braços de sua mãe. E desistir não existia no dicionário do elfo.

Os próximos capítulos vão narrando o treinamento de Aglarion. E cada vez, o nível de dificuldade vai aumentando, muitas vezes ele tentou desistir, mas ele não daria esse gosto ao seu mestre. Ao contrário iria provar que tinha valor e qualidades suficientes para se tornar um grande mago e realizar grandes feitos




Logo de cara eu achei  Kyehntw'arthal um homem horrível, insensível e rabugento. Pois sempre estava provocando seu aprendiz, parecia que estava a contra gosto treinando o garoto...É estava...Mas, depois de ciclos (anos) de treinamentos, o arquimago começa a ter alguma feição por seu aprendiz, claro que não demonstra, mas fica orgulhoso de seus feitos.

Aglarion, a cada ciclo que passa, vai ficando mais forte, consegue controlar os elementos arcanos (terra, fogo, vento, água) com bastante destreza. Com isso, outra fase dos treinamentos se inicia: os treinamentos práticos, com situações simuladas de perigo que ele poderia encontrar...E se sai bem em todas. Mais ciclos se passam e novos desafios surgem na vida aprendiz, agora ele tem que sair sozinho e completar os desafios de seu mestre.

Paralelamente, Kyehntw'arthal  descobre que forças malignas estão tentando realizar um ataque aos grandes bruxos, magos e feiticeiros...E Kyehntw'arthal está entre eles, e claro ele se prepara para o que está por vir. Não querendo deixar seus pupilos longe, ele decide levar Aglarion e Vedriny juntos. Eles chegam a uma floresta que abrigava uma cidade antiga, hoje apenas ruínas e com uma áurea maligna...E então surgem criaturas sombrias e atacam o grupo...O Arquimago  pede para Aglarion levar Vedriny para um local seguro, enquanto isso, o Kyehntw'arthal começa a sua batalha...Ele caiu em uma armadilha e estava em desvantagem.

Aglarion também é atacado, e não esperava uma traição tão grande. Na tentativa de se manter vivo e proteger Vedriny ele coloca em prática todos seus conhecimentos de magia, e não faz feio. Ela conjura com perfeição e rapidez os elementos arcanos e assim consegue proteger a ele e sua amiga...Tudo a tempo de seu mestre ver.



Leitores, fiz de tudo para não dar spoiler. Se vocês repararem nem a sinopse fala muita coisa...Deixando bastante mistério a respeito da história. O que posso dizer é amei esse livro do início ao fim! Quem acompanha o blog sabe o quanto sou fã de fantasia...E quando entra elfos, magos, bruxas, anjos, demônios, vampiros e nefelins, o livro já me conquista de cara! 

A escrita do autor é bem fluida e apesar do livro ter 630 páginas, a leitura é até rápida. Para mim, um bom livro de fantasia é aquele que detalha o ambiente sem ser monótono, pois a descrição do mundo que autor criou é essencial para o leitor se inserir na história...Nesse quesito, não tenho o que reclamar, o autor fez um excelente trabalho descritivo: lugares, pessoas e criaturas. Até os gestos que os personagens faziam para conjurar a magia foram muito bem detalhados.

Outra coisa que gostei bastante foi a criação de nomes específicos para os personagens: Kyehntw'arthal, Aglarion, Vedriny, Aleena. Também a criação de nomes para lugares e criaturas, além de ter criado sistemas de peso, medida, tempo e espaço próprio para a história. No final do livro há um apêndice mostrando a pronúncia dos nomes e o o sistema de medidas usado na história, fazendo uma comparação com  o nosso sistema de medidas. Esse cuidado do autor em criar nomes específicos, sistemas próprios me lembrou bastante o grande J.R.R Tolkien. Isso para mim, valorizou bastante o enredo, pois é algo único. Só nessa história teremos esses termos.




A diagramação é ótima! As páginas são em sépia, a textura é agradável ao toque e as fontes das letras estão perfeitas para a leitura. O trabalho da capa está lindo e a capa mostra um momento muito importante dentro da história.

Se recomendo o livro? É claro que sim! Se você for fã de fantasia, vai amar! E se não curte ou nunca leu nada do gênero, recomendo também!

Espero que tenham gostado...Até a próxima!




21 comentários:

  1. Olá...
    Eu amo fantasia e ler sua resenha sobre esse livro me despertou certa curiosidade com o mesmo, não me lembro de ler fantasia nacional e esse parece ser uma ótima pedida...
    A capa está linda e o enredo nos convida a lê-lo

    http://curaleitura.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  2. Olá...
    Eu amo fantasia e ler sua resenha sobre esse livro me despertou certa curiosidade com o mesmo, não me lembro de ler fantasia nacional e esse parece ser uma ótima pedida...
    A capa está linda e o enredo nos convida a lê-lo

    http://curaleitura.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  3. Oi, como vai?

    Não é minha praia fantasia, mas esse livro depois da sua resenha, leria sim. Além disso, conheço o trabalho da Chiado que é fora de sério. E também adoro dar uma força para a literatura nacional. Obrigada pela dica e parabéns pela resenha!

    http://www.cristinadeutsch.org/
    Saudações literárias.
    Beijos no ♥

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem?
    Adorei a resenha, eu não conhecia o livro, mas já fiquei super interessada nele. Adoro fantasia, e elfos então, amo! Gostei da comparação que você fez com o todo poderoso Tolkien, e por isso fiquei ainda mais animada. Dica anotada com sucesso!

    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  5. Hey, Suzana!

    Gente, pra quê tanto nome difícil de personagens e lugares? Nossa, isso me desmotiva a continuar lendo um livro.. rs
    Apesar da sua resenha empolgada, não fiquei interessada pelo livro.
    Essa dica eu vou deixar passar.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu não sou muito fã de fantasia, mas quando se trata de ter elfos na história, eu fico empolgada haha!
    Eu gostei da premissa, só me preocupo com o tamanho da leitura (tô fugindo de livros gigantescos como esse) e com a descrição, tudo extremamente detalhado me incomoda, fico achando maçante... mas acho que é um livro que eu leria se houvesse oportunidade futuramente.
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Também amo fantasia, e também amei demais esse livro do começo ao fim! Entrei completamente na narrativa e me senti na pele do Aglarion, consegui sentir cada revolta dele por causa do treinamento que parecia não levar a lugar nenhum e também cada alegria ao perceber que estava se tornando um mago cada vez melhor. Também recomendo muito a leitura!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Oi Su, sua linda, tudo bem?
    Eu conheci esse livro através da Ju, do blog Entre palcos e Livros e me apaixonei pela história, pois como você adoro fantasia. Quando me falou que estava lendo ele também, fiquei aguardando sua resenha. Sabe, eu não achei ele malvado não, risos.... mesmo com a implicância achei que ele o estava preparando, combater o mal não é fácil, ele precisava ser forte. Achei lindo o sentimento que se formou entre eles, no decorrer dos anos e o respeito. Já estou torcendo também para um romance entre esses elfos aprendizes, risos.... Adorei sua resenha, não vejo a hora de me aventurar com eles!!!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  9. oi, tudo bem?
    eu amo filmes e séries que retratam fantasias épicas, porém, não é o tipo de livro que me atrai, confesso. E muita descrição costuma me incomodar, por isso acho que essa leitura não é para mim
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie! Vários livros da Chiado têm me despertado interesse há algum tempo e esse, em especial, parece conter um enredo maravilhoso. Realmente, é impossível não associar a junção de magos e elfos às obras do Tolkien. Eu, apaixonada por fantasia, quero muito ler essa obra e ela está na minha lista de desejados. Confesso que, ao passo que fui lendo sua resenha e fiquei sabendo dos detalhes, tive vontade de pular direto para a sua opinião, com medo dos spoilers, mas você descreveu tudo tão bem que eu me senti presa às suas palavras e finalizei a leitura já com vontade de ter o livro em mãos para passar a noite lendo. 'O' Adorei a resenha e espero poder ler a obra em breve.

    Beijos,
    Fernanda Goulart.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Oi Suzana!
    Não conhecia esse livro mas sua resenha me enlouqueceu e quero ler agora! rsrsrs
    Adoro fantasia e aventura, e o enredo tem todos os elementos que amo, só não sei se saberia ler esses nomes, kkk.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Oie tudo bem? Não conhecia o livro e fiquei bem curiosa pra lê-lo agora, faz bem o meu estilo mesmo. Mas fiquei com preguiça das 630 páginas kkkkk

    ResponderExcluir
  14. Simeia Silva27.6.16

    De cara achei a diagramação linda gente, a editora está melhorando bastante nesse quesito de capas, adorei.No primeiro olhar achei que seria uma coisa mais épica, mas curti a ideia e leria sim, a única coisa que me deixa de olhos arregalados é o tanto de páginas,hahaha, mas se a história vale a pena, o tanto de páginas fica mais interessante.

    bjs

    ResponderExcluir
  15. poxa, parece ser um livro incrível... ultimamente tô a fim de ler Fantasia, mas que seja breve, de preferência... então esse calhamaço terá que esperar um pouquinho a fila de desejados... legal ele ter uma descrição bacana de todo o universo criado pelo autor, curto isso em livros de fantasia porque dá pra 'entrar' no mundo de forma mais intensa, eu idealizo demais os lugares descritos...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  16. Olá,
    Eu já conhecia o livro porque também sou parceira da Chiado e é um dos meus primeiros da lista para ler. Gostei muito da rua resenha, porque eu consegui entender mais do livro. Assim como você eu também gosto de fantasia e com seres mitológicos. Só me assustou a grossura do livro que é enorme kkk' Mas já que vc falou que é uma leitura rápida, vou arriscar.
    Beijos,
    Delírios Literários da Snow

    ResponderExcluir
  17. Simeia Silva28.6.16

    Segunda resenha que leio do livro e me vi mais apaixonada ainda pela história, adoro livros de fantasia com esses seres lindos. A única coisa que me deixa meio assim é o tanto de páginas e as descrições demais que você falou ter no livro. Enfim, se tiver uma oportunidade mais pra frente, o colocarei na minha fila de leituras.

    bjs

    ResponderExcluir
  18. Nossa que tijolão, haha!
    Gostei da resenha. Me pareceu bem aquelas histórias de RPG sabe? Gosto disso!

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. eu ainda não li esse livro mas confesso que o enredo me deixa curiosa, porém a quantidade de páginas me assusta muito kkkkkk

    ResponderExcluir
  20. Olá, adoro o gênero e sua resenha me deixou bastante curiosa. Adorei a capa e me assustei um pouco com a foto do livro...que enorme, kkkkkk

    Abraços

    ResponderExcluir
  21. Oie
    não é um gênero que curto muuuuito mas parece ter um enredo bem legal, muito boa a sua resenha e boa dica para amadores do gênero

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário é muito importante!

Todos os posts são escritos com bastante carinho para todos os leitores.

E, sempre que der, vou responder seus comentários.

Obrigada pela visita e volte sempre!

Siga o blog no GFC, Curta nossa Fanpage. Siga no Instagram.